2011-04-18

Floração

Estou cada vez mais confuso com a situação de Portugal. Os políticos, ou por paternalismo, ou por conveniência, ou por obrigação raramente nos informam com exactidão do que se passa. Isto torna o passado cada vez mais imprevisível e o presente cada vez mais nevoento.

Ironicamente parece que agora só o futuro se conhece com exactidão: intervenção externa, recessão, austeridade.

Resolvi assim fazer uma ligeira pausa na minha modesta tentativa de compreender o que se passa, aguardando que sejam revelados alguns factos novos, pois as narrativas públicas actuais escapam ao domínio do senso comum (para evitar a forma mais portuguesa e mais ousada de “bom senso”).

Tenho assim contemplado a floração das árvores, muito activa por esta época do ano. Sendo citadino surpreendo-me mesmo assim como foi possível passar tantos anos reparando apenas na floração roxa das Jacarandás em Maio e amarela das Tipuana Tipu em Junho, sem reparar que quase todas as árvores de Lisboa alteram o seu aspecto nesta altura, exibindo flores, frutos, novas folhas, etc.

Bem sei que um pouco mais para o Norte, por exemplo no Porto, esta floração é mais espectacular, sobretudo com as magnólias, e que já tinha referido a floração discreta das oliveiras aqui e aqui mas é interessante constatar que existem sinais discretos (por vezes não tão discretos assim) de mudança de aspecto de uma grande quantidade de árvores.

Estas florações discretas fizeram-me lembrar outra mais conspícua, que só tenho visto em fotografia. Trata-se do espectacular Ipê Rosa do Brasil de que apresento duas imagens que fui buscar ao blogue “Leaves of Grass” que consta da minha lista aqui à direita.


A de cima é um detalhe cheio de flores usado como banner no blogue referido, a de baixo mostra a árvore imponente cuja escala pode ser avaliada, por exemplo, a partir das telhas do alpendre da casa que aparece do lado esquerdo, mas também a partir de outras imagens da mesma árvore neste post.


O blogue “Leaves of Grass” tem ainda bastantes fotos interessantes tiradas nas margens da represa de Jurumirim.

2 comentários:

Luísa disse...

Também nunca tinha reparado nessa floração generalizada, Jj.. Penso que se deve, talvez, à sua relativamente curta duração. :-)

sonia a. mascaro disse...

J.J. Amarante,
Muito obrigada por postar as fotos do meu Ipê Rosa e dar o link ao meu blog Leaves of Grass.

Segui o link para as fotos das oliveiras e as achei magníficas! Nunca vi uma oliveira pessoalmente, apenas em fotos.
E eu adoro azeitonas.

Um abraço.