2009-10-24

Kew Gardens no Outono, à volta do lago

Muitas vezes as minhas imagens não têm pessoas. Não sei se entretanto me reconciliei com a figura humana ou se é por um jardim ser uma paisagem ultra-humanizada, as figuras humanas ficam lá muito bem.

Seguem-se três fotos na margem de um lago dos Kew Gardens que ajudam a perceber porque é que a Grã-Bretanha, cujos habitantes fogem com frequência para os 4 cantos do mundo queixando-se amargamente do clima, ainda não é uma ilha deserta.










2 comentários:

Mouro da Linha disse...

E a comida? Eu acho que, além do clima deplorável, a culinária inglesa foi um dos grandes motores do Império.

jj.amarante disse...

Sem dúvida, a única recordação desagradável que guardo destes maravilhosos Kew Gardens foi o almoço pessimamente confeccionado no restaurante dentro dos jardins. Dizem-me que em Londres se pode comer agora muito bem mas é porque existem restaurantes a servir comida de todo o mundo, muitos deles tendo escapado à interpretação inglesa dessas comidas ultramarinas (from overseas), interpretação essa que ainda há poucos anos destruía também essas cozinhas alternativas.