2009-10-04

Ceci n’est pas un Magritte

Um dos fascínios da obra de Magritte está na abordagem da interacção entre o objecto e a sua representação.

Talvez o caso mais famoso deste aspecto seja o do quadro “La trahison des images” de 1928, mostrando um cachimbo e uma legenda dizendo “Isto não é um cachimbo”.

Por vezes na Matemática instala-se uma certa tensão entre a representação dum conceito e o próprio conceito e suponho ser essa uma das razões para Douglas Hofstadter mostrar várias obras de Magritte no “Gödel, Escher, Bach, an eternal Golden Braid”, como referi aqui.

No comentário político, como no blogue “o cachimbo de magritte”, esta imagem ilustrará que a “...realidade nem sempre é o que parece...”

Neste contexto, a frase ”Ceci n’est pas un texte”, que julgo não ter sido usada por Magritte, é vagamente engraçada por ser absurda e auto-referente, mas não encerra nenhuma ambiguidade.


Já as t-shirts da imagem aqui ao lado, fotografadas no museu Magritte em Bruxelas (mas que já vi noutros sítios), parecem-me captar a essência da ambiguidade.

Num sentido estrito a frase escrita na T-shirt é verdadeira, porque Magritte não projectou nenhuma T-shirt com uma frase dizendo “Ceci n’est pas un Magritte”.

Mas, por outro lado, foi o próprio Magritte que indirectamente, através do quadro do cachimbo legendado, levou à existência desta T-shirt pelo que se poderá dizer que a T-shirt é um Magritte.

Ficamos assim na dúvida se a frase será falsa ou se será verdadeira.

1 comentário:

Mouro da Linha disse...

Isto não é um comentário.