2008-12-19

Presépio do Natal

Sempre gostei do Natal, tenho fortes suspeitas que essa simpatia vinha da construção do Presépio, da expectativa das prendas e do ambiente de festa, em que brincava mais com os primos.

Nasci e vivi no Porto até aos dez anos e lembro-me que nesta altura saíamos à rua para irmos apanhar musgo para fazer o Presépio. Acho que as pessoas se queixam excessivamente da existência do ritual. Por vezes pode ser uma chatice, quando uma pessoa não está em sintonia com o ambiente festivo, mas parece-me interessante marcar os dias, para não serem todos iguais.

O ano passado, para simplificar a complicação das prendas, optámos por prescindir da prenda com destinatário específico. Cada pessoa levou duas prendas, pôs-se tudo num saco e depois cada um ficou com duas prendas. Não me lembro se se evitou de levar a própria prenda que se tinha trazido.

Parece haver menos tempo disponível e o Presépio na minha casa ficou minimalista. Acho que é um artesanato mexicano mas não tenho a certeza, só sei que gosto muito dos dourados das figurinhas e da colocação sobre o prato de latão.



No outro dia achei graça numa florista a uma etiqueta dum boião de vidro cheio de Meninos Jesuses (será assim que se diz?) onde estava escrito "Menino Jesus - 4 cm -Made in China".

1 comentário:

Luis Novaes Tito disse...

Caro José Júlio
Venho agradecer-lhe a participação na brincadeira anual do meu Blog e pedir-lhe que não leve a mal o humor feito na publicação da sua imagem.
Este concurso, que há muitos anos realizo, destina-se principalmente a fazer a ponte com os meus leitores e a poder desejar-lhes, como agora faço a si, que tenham Festas Felizes.
Um abraço