2017-12-16

Hydrofoils


Hydrofoils talvez em português se deva dizer "hidroasas", trata-se de embarcações cujas asas imersas, quando em movimento,  fornecem sustentação para elevar o casco até uma posição fora de água, diminuindo assim consideravelmente a resistência ao movimento. Não gosto do termo brasileiro "hidrofólio".

Como habitualmente a versão inglesa da entrada na Wikipédia é muito mais completa do que a portuguesa. A história do uso destas asas submarinas em embarcações remonta a 1906, com um protótipo italiano construído por Enrico Forlanini a atingir a velocidade de 68 km/h no lago Maggiore no norte de Itália. Alexander Graham Bell também se interessou por esta novidade tendo feito alguns protótipos.

Além de aplicações desportivas e militares os hydrofoils têm tido aplicação no transporte de passageiros em águas pouco agitadas para distâncias de algumas dezenas de quilómetros como por exemplo nas carreiras entre Macau e Hong-Kong onde percorrem os 60 km de distância numa hora.

Boa parte dos barcos usados nesta ligação foram produzidos pela Boeing, com a designação de Jetfoils, como este TurboJet hydrofoil Cacilhas no porto de Hong Kong, visto de um ferry dessa cidade


e fotografado por Daniel Case (Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=29524510).

Mas interessei-me agora pelos hydrofoils ao receber este vídeo intitulado "The America's Cup AC75 boat concept revealed"



A Taça América (America's Cup) é uma regata de barcos à vela que se realiza de 4 em 4 anos desde 1851. O detentor da taça, vencedor da última regata, tem o direito de especificar as características dos barcos que irão participar na próxima regata. Os barcos com essas características pertencerão a uma classe que neste caso foi designada AC75, AC para "America's Cup" e 75 porque as embarcações terão 75 pés de comprimento (23,86m). O filme descreve as especificações da classe AC75 que será usada na 36ª prova a realizar em 2021 em Auckland, na Nova Zelândia.

Durante muito tempo, de 1958 a 1987, os barcos desta prova tinham um comprimento de 12 metros, de 1992 a 2007 usaram-se barcos de 25 metros. De então para cá as características dos barcos para esta competição têm tido especificações diferentes em cada 4 anos, tendo sido especificados catamarans havendo agora um regresso ao monocasco. Ao longo de todo esse tempo, quando vejo imagens da prova, acho sempre os barcos lindíssimos.

Depois de ver este filme chamou-me a atenção outro sobre windsurf usando hidrofoil que se pode ver aqui



e depois ainda estes para surfar as ondas



Trata-se de protótipos, não é certo que os  hidrofoils se generalizem.

1 comentário:

José Allen Lima disse...

Meu caro Amarante, parabéns por estas belas experiências náuticas.
Feliz Natal e um ótimo 2018. J Alberto Allen