2016-01-12

Cantos do Rouxinol


Em Abril/2010 fiz um post sobre rouxinóis e passado algum tempo tive conhecimento de que o Olivier Messiaen, um francês que além de compositor e organista foi também ornitologista tinha os dois filminhos que aqui mostro, depois de repetir a exibição dos rouxinóis:










2 comentários:

Vítor Santos Lindegaard disse...

No texto "Plume d'Ange", Claude Nougaro põe uma personagem a dissertar sobre "ornitologia comparada entre Messiaen e Charlie Parker". Sempre achei muita graça a esta passagem. De Messiaen, gosto mesmo muito de tudo o que conheço. A propósito da conversa na Travessa, eis um exemplo de um inovador que creio que muitos concordarão que há de mesmo ficar. Sei que Janáček usou o discurso humano como base para compor e conheço peças do músico de jazz Jason Moran em que ele faz o mesmo.

jj.amarante disse...

A história "Plume d'Ange" era boa mas o que era verdadeiramente excepcional era a emoção com que o Claude Nougaro (que eu não conhecia) a contava. Fui à procura duma imagem de um anjo e por sorte acabei finalmente por perceber como são os Serafins da Igreja da Santa Sabedoria em Istambul, de que falarei num próximo texto.

A música a partir da fala humana fez-me lembrar a forma suave como eu acordava ao ouvir a minha mãe falar de manhã quase ininterruptamente com a empregada, num conjunto de sons ininteligíveis, porque distorcidos pela parede, mas sem qualquer ritmo definido para o qual o meu cérebro encontraria com relativa facilidade um filtro para proteger o meu sono. Assim acabava por acordar mas de forma muito suave.