2013-12-15

Cores de Outono - 3, Ginkgo Biloba


Nos primeiros textos deste blogue em que me referi a esta simpática árvore usava a grafia "Gingko".
Entretanto descobri que a grafia "Ginkgo" é mais comum. Tentei pronunciar das duas formas a ver qual preferia e fui surpreendido pela semelhança fonética, dado que o "g" fica bastante mudo quando ao pé do "k". Vou passar a usar a segunda forma mas não vou alterar a grafia usada nos posts anteriores. Coloquei o rótulo (label, tag) "GINKGO" nas que usavam a grafia anterior mas tal não é suficiente para que apareçam quando se faz uma busca com a palavra "ginkgo".

Estas árvores apresentam a vantagem de as folhas ficarem amarelas relativamente cedo mas demorarem muito tempo a cair, oferecendo o espectáculo de uma árvore com folhagem abundante, toda de cor amarela, como se constata nesta imagem



tirada na rua Fernando Pessoa, no bairro de Alvalade em Lisboa. Quando comecei a reparar nos ginkgos só conhecia a existência deles em Lisboa no largo do Príncipe Real. Entretanto já dei por eles na Av.João Crisóstomo, na Av.João XXI, na Av.D.João II no Parque das Nações e agora nesta rua.

Na Wikipédia referem a existência de árvores macho e fêmea desta espécie e dizem que costumam evitar a plantação de árvores fêmea em ruas porque os frutos têm ácido butírico, que tem um cheiro desagradável. Neste sítio referem mesmo a conveniência de usar luvas para colher os frutos, foi assim com alguma surpresa que vi na mesma rua este ginkgo com frutos



Para finalizar mostro apenas uma árvore ginkgo biloba, ainda na mesma rua Fernando Pessoa




1 comentário:

Majo disse...

~~~
~ Quando informei-me sobre esta árvore na Wikipédia, mais
interessada nas suas propriedades medicinais, fixei a sua
prodigiosa longevidade, porém, não reparei que era árvore
de folha caduca.

~~ As fotos ficaram muito interessantes. ~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~