2013-11-13

Carvalhos



Quando visitei em Julho deste ano o miradouro de Santa Luzia em Viana do Castelo gostei duma árvore com folhas iluminadas pela luz do Sol que mostrei aqui, indagando se alguém saberia o nome dessa árvore.

O Vítor Santos Lindegaard teve a gentileza de ir procurar o nome da árvore e considera que será provavelmente um Quercus coccinea nome em latim do Carvalho-Vermelho-Americano, conjectura que me pareceu boa.

Passados 2 dias fui a um restaurante na Alameda dos Oceanos no Parque das Nações, no troço entre a rotunda do Cabeço das Rolas e a Estação do Oriente, onde vi umas árvores com umas folhas parecidas às da árvore de Viana do Castelo.

No dia seguinte fui lá fotografá-las, ficaram razoáveis mas sem grande sucesso, penso que já me queixei das dificuldades em enquadrar árvores nas cidades, há uma data de emplastros que se metem nas fotografias, tais como candeeiros, sinais de trânsito, fachadas de prédios, automóveis, etc.

Um dos truques é tentar que só fique a árvore e o céu, mas neste caso o tronco principal fica de fora. Começo por esta com tons de amarelo e bronze



seguida desta com uns tons mais avermelhados



constatei que as fotos estavam mal focadas (árvores são difíceis de focar) mas com a discriminação de 800x600 pixels não se nota muito.

Depois fotografei duas folhas no chão, uma mais castanha e outra mais vermelha, se calhar a vermelha já não está completa


A seguir fui para a rotunda atrás referida e tirei esta foto ao conjunto



e concluí com esta mistura de verde e bronze sobre o céu azul de Lisboa



entretanto googlei alameda dos oceanos árvores tendo chegado aqui onde está este texto:
«
-  o troço da Estação do Oriente, o segundo, é mais largo e constituído por dois passeios laterais arborizados com azinheiras. Na plataforma central foram plantados alinhamentos de quercus palustris, pontuados com o exotismo das erytrinas. A extremidade norte localiza-se frente ao Pavilhão de Portugal e distingue-se pelos canteiros sobrelevados onde predominam ciprestes, rematando com um sobreiro de grande porte; - See more at: http://www.portaldasnacoes.pt/item/alameda-dos-oceanos/#sthash.e3FZ9quu.dpuf
»

Portanto as árvores que acabei de mostrar são carvalhos da espécie “Quercus palustris” que em inglês chamam “Pin oak” e em português é uma das espécies designadas por "carvalho-vermelho-americano". É impressionande a variedade de carvalhos que existe, está aqui uma extensa lista, onde consta naturalmente o sobreiro, o “Quercus suber”.

Gostava de ir a Viana ver se o quercus de lá é mais ou menos escarlate do que estes que acabo de mostrar.

Mais uma vez constato que nas viagens temos mais disponibilidade para ver melhor o mundo e quando regressamos a casa descobrimos mesmo ao lado coisas que até então nos tinham passado despercebidas.

2 comentários:

Rita Maria disse...

Tão bonitas, obrigada! A ver se vou lá vê-las, que estou mesmo precisada!

Vítor Santos Lindegaard disse...

Belas fotografias, belas árvores. Os Q. palustris e os Q. coccinea são muito parecidos, não é por acaso que o mesmo nome português serve para ambos. Encontrei uma página alemã de pessoas que pareciam saber de botânica e onde discutiam umas folhas, dizendo precisamente que há casos em que é muito difícil distingui-las. Talvez os de Viana sejam também Q. palustris. Pareceu-me, quando fiz a pesquisa, que as folhas dos Q. coccinea eram mais esguias, mas estas folhas de Q. palustris também são muito esguias, de maneira que fico na dúvida.