2011-01-29

As Janelas que se fecham

Soube aqui e aqui que morreu hoje o jornalista José Pedro Barreto, que conheci na blogosfera através do Womenage mas sobretudo do seu último blogue Janelas.

Quem se auto-descreve assim:
«
Nasceu em Cascais na primeira metade do século passado, mas foi cedo para Lisboa, aos cinco dias de idade. É jornalista, trabalhou em vários jornais, e teve emprego em alguns deles.

Dedicou-se sobretudo às questões internacionais, chefiando as respectivas secções de A Tarde, Semanário e do Diário de Notícias. Fartou-se de conhecer o mundo e ainda lhe pagaram por cima.

  Foi também chefe da delegação em Lisboa de O Primeiro de Janeiro, nos tempos em que era um jornal. A certa altura passou para a televisão, também como responsável pela secção Internacional – mais propriamente, a TVI, onde foi director de Informação entre 1996 e 1999.

Como bom jornalista que é, gosta de falar de tudo, mesmo do que conhece bem. Ultimamente, tem praticado sobretudo no blog Womenage à Trois, com um nick que lhe permite escrever uns palavrões de vez em quando sem que a família saiba.


Tem dois filhos, escreveu um livro a meias com Francisco Ribeiro Soares (Andar Feliz em Lisboa, coisa que faz amiúde), traduziu vários, e um dia plantou um pessegueiro por acaso quando atirou o caroço para o jardim.

»

bem merecia estar connosco mais uns anitos.

Embora não o tenha conhecido em pessoa resta-me a consolação de, segundo o seu comentário, o ter estragado com mimos.

Deixo aqui duas janelas fechadas da Maluda, mas que ainda reflectem o mundo

1 comentário:

Helena disse...

jj. amarante,
É o que dá esta minha tendência de gostar dos conteúdos e não reparar na pessoa: andava eu aqui triste com a morte do Mouro da Linha, e vem-me dizer que o do Janelas também morreu?!
Logo "dois" que eu lia com tanto gosto!