2010-02-19

Dama de Elche

No outro dia, ao passar no Paseo del Prado ao pé da Caixa Forum em Madrid, vi esta escultura





cuja tabuleta informava ter sido feita por Manolo Valdez em 2004, chamando-se “La dama”.

Trata-se de uma referência à Dama de Elche, uma escultura do século V AC, encontrada em 1897 em Elche, povoação a uns 30 km de Alicante.

Reconheci-a porque era um dos cromos da minha colecção de “Maravilhas do Mundo” que mostro aqui ao lado.

A estátua teve uma vida animada depois de descoberta, foi comprada por um francês e esteve exposta no Louvre vários anos até ser devolvida à Espanha, através de troca por outras obras de arte, onde ficou no museu do Prado até passar para o museu arqueológico de Madrid onde se encontra actualmente.

Numa próxima oportunidade irei vê-la (ou revê-la) pois já não me recordo de a ter visto. Às vezes acho que esse é um dos problemas das fotografias, uma pessoa pensa lembrar-se do que viu mas na verdade do que se lembra é das fotografias que tirou.

A seguir apresento duas imagens que estão na Wikipédia e outra de um blogue de teorias conspirativas que não me merecem crédito. Incluo a imagem deste último porque com uma mulher real se fica com uma ideia muito melhor do exotismo do adorno. Já nessa altura havia adornos femininos muito pouco práticos. Mas como estamos longe das mulheres de cara tapada...












Para finalizar, aqui sugerem que foi a Dama de Elche que inspirou o George Lucas, na caracterização da princesa Leia:

2 comentários:

Helena disse...

Adornos femininos pouco práticos: para mim, o pior de todos, o mais horroroso, são aqueles anéis de metal para ir esticando o pescoço das mulheres de uma etnia tailandesa.
Tenho a certeza que conhece, mas aqui vão algumas imagens:
http://images.google.de/images?q=langhalsfrau&oe=utf-8&rls=org.mozilla:de:official&client=firefox-a&um=1&ie=UTF-8&sa=N&hl=de&tab=wi

Anónimo disse...

Sera que foi a partir deste taje que as espanholas se inspiraram?Os adornos que as espanholas costumam usar-os tradicionais-têem algumas semelhanças.
R.M.