2008-04-19

Germany, Made in US Zone

Todos estes Origamis lembraram-me os brinquedos da minha infância. Tendo nascido em 1949 tive naturalmente brinquedos de "dar à corda", os brinquedos usando pilhas eram menos comuns.

Desses tempos ainda guardo estes dois elefantes, a que dou corda de longe em longe. Fiz uns pequenos filmes com o elefante da esquerda a marchar lentamente e o da direita a rodar no seu triciclo mas não fiquei satisfeito com o resultado e limito-me a mostrar uma foto.



São brinquedos robustos e não muito perigosos embora tenham arestas relativamente cortantes que hoje já não são aceitáveis.

Quando já tinha deixado de brincar com eles reservavam-me uma surpresa: duma das vezes reparei que diziam "GERMANY", "MADE IN US ZONE", como se vê em baixo.




A organização da Alemanha em zonas de ocupação pelas forças aliadas durou de 1945 a 1949, data da criação da República Federal da Alemanha, pelo que estes brinquedos trazem consigo uma carga histórica pesada.

Foi para acabar de vez com a guerra na Europa que criámos a União Europeia, que tão bem tem servido essa finalidade.

2 comentários:

Helena disse...

Apesar de existir um país politicamente autónomo, os alemães da RFA sentiam que eram um país ocupado. Isso durou até à reunificação e a retirada das tropas dos aliados.
Na RDA a ocupação era muito mais evidente.

Será que a União Europeia será capaz de assegurar a Paz na Europa? Parece-me que uma guerra entre a Alemanha e a França não voltará a acontecer. Mas que dizer dos outros países? Nem penso num alargamento à Turquia - basta ver a deriva extremista da Áustria, e a incapacidade que a União tem revelado para controlar esses danos. Ou as atitudes da Polónia. Ou ainda o modo como os referendos sobre a constituição europeia foram usados para castigar os governos dos países - o "não" por motivos de política interna, e uma enorme falta de visão sobre o valor de uma Europa mais unida.

jj.amarante disse...

Assegurar a paz é uma tarefa de cada geração, a paz nunca está garantida. A União Europeia tem sido muito útil nessa tarefa, embora não tenha conseguido evitar a guerra nos Balcãs. É triste o uso da Europa como bode expiatório para o que corre mal mas o aumento do intercâmbio de pessoas e de interligação das economias podem continuar a assegurar uma vida em conjunto com alguma harmonia.